quinta-feira, 15 de julho de 2010

Guto e o saco de carvão


Alfredo, aos 63 anos, perguntou a Guto, seu neto, o porquê da cara emburrada. O garoto havia chegado a pouco da escola e sentara para o almoço com raiva. Guto respondeu:

- Sabe o que é vô... O Victor, garoto do colégio, me bateu. Ele me pegou desprevenido, eu estava de costas, aí quando levantei e fui para cima dele a professora chegou. Que raiva que eu estou! Justo na hora que iria arrebentar a cara dele.

Alfredo, muito sábio, foi até seu armário e pegou um lençol branco que ainda estava para passar, depois seguiu até a garagem pegou um saco de carvão, pendurou o lençol no varal e chamou Guto.

- Guto, venha cá meu filho! Venha aprender uma coisa.

Ele, ainda emburrado, não queria conversa mas ouviu.

- Está vendo esse saco de carvão e aquele lençol ? – Guto observou atento – Vou me afastar e quando eu disser ‘valendo’, você irá rasgar esse saco com toda a raiva que está dentro de você e imagine que o lençol seja o Victor, jogue quantos pedaços de carvão você conseguir nele.

Guto gostou da ideia, já que assim poderia extravasar toda a sua fúria. Então o menino rasgou o saco com tanta força que foi pó de carvão para todos os lados. Ele pegava o carvão do chão e tacava no lençol, quando acertava ele não deixava de comemorar, outros não. Passado algum tempo começou a suar e sem perceber enxugava o suor com suas mãos sujas e continuava a pegar pedaços de carvão e a jogar no lençol. No final do último pedaço, cansado, Alfredo lhe perguntou:

- E aí Guto como se sente?
- Agora sim estou bem vovô! Descontei toda a minha raiva, mas bem que poderia ser o Victor ali no lugar do lençol. – respondeu Guto num tom aliviado, baixando a sua voz aos poucos.

Foi quando Alfredo retirou do bolso um espelho e apontou para o rosto do garoto dizendo:

- Filho, agora veja como estás e me diga: Quem está mais sujo?

Guto sem jeito afirma:

- Pôxa vovô, na hora da raiva nem me lembrei que estava com as mãos sujas de carvão... Tentei limpar o suor do rosto e acabei me sujando mais ainda. Estou mais sujo que o lençol!


- E não é só isso Guto... – continuou seu avô.

E assim Alfredo, o meu personagem dessa história, tenta fazer com que desde cedo Guto, inconscientemente, siga os ensinamentos de Jesus, para o seu próprio bem.

Posso dizer que o seu ‘perispírito’ (o elemento intermediário entre o corpo e o espírito) funciona como o HD nos computadores de hoje em dia, porém no perispírito não há a tecla ‘delete’ ou ‘backspace’. Todos os seus pensamentos e suas ações são armazenadas em seu perispírito. Os bons, os maus pensamentos e, até mesmo. as horas em que deveríamos agir ou não agir.

A bondade, caridade, mão amiga, palavra amiga, o sorriso, etc, todos esses atos são armazenados clareando o seu perispírito e tornando-o leve e com vibrações elevadas. Enquanto a raiva, o desejo de vingança, o acúmulo de tristeza, o ciúme, a cobiça pelo bem alheio mancham sua áurea, que depois de ‘completa’ de manchas acaba sendo despejadas no seu corpo físico, de tanta energia negativa que você acumulou, causando muitas vezes uma dor de cabeça, cólica, aftas, entre outros incômodos.

Então se policie! Sorria! Não guarde rancores, aborrecimentos, não responda a uma agressão, porque no final das contas você estará mais ‘sujo de carvão’ do que a outra pessoa.

Fiquem em paz,

Leonardo Saraiva

7 comentários:

  1. Muito bom o texto. Demonstra muito bem o que não devemos fazer. Sabemos o qto é difícil nos policiarmos para fazer a coisa certa, pois somos humanos e muitas vezes fazemos a escolha menos correta, porém o texto faz com que reflitamos um pouco mais sobre os nossos atos e nossas reações.
    Abçs,
    Jot@C St@ffBull

    ResponderExcluir
  2. Léozinho sempre me dando lições!!

    Amo esse blog.

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente, quase sempre temos como primeira opção pegar o saco de carvão... O exercício da paciência é árduo e difícil, mas não impossível, mesmo que em alguns momentos o peito aperte e a lágrima seja inevitável. Importante é não desistirmos nunca. Praticar o bem sem olhar,muitas vezes,a quem e sem esperar nada em troca. Devemos aprender com nossas escolhas, pois até a má decisão no traz ensinamentos... Porém a escolha mas certa é a de nos aproximarmos cada vez mais de Deus. Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Léo, você sempre com esas reflexões, ensinamentos, se todos dessem importancia a elas como eu dou, você dá o mundo seria bem melhor tenho certeza disso.
    Beijo querido, que Deus te ilumine cada dia mais e que você tenha sempre inspiração pra escrever aqui no blog.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente a minha primeira escolha, atualmente, tem sido o saco de carvão. Muito embora eu saiba que não é a melhor escolha. Meu trabalho com a reforma intima tem sido dificil mas ainda estou aprendendo. Certamente esta lição me ajudará nas próximas escolhas. Beijos cheirosos!
    Monique Goems

    ResponderExcluir
  6. Natali Sorrentino15 de julho de 2010 23:22

    Lindo texto,parabéns.Se todos tivessemos como prioridade a caridade e atos de amor e amizade a tudo e a todos com certeza teriamos um mundo mto melhor de se viver.
    Bjs e muita Luz a você Leonardo!

    ResponderExcluir
  7. Esse texto é perfeito...
    Como sabe trabalho com crianças, mas precisamente com orientação pedagógica e a todo tempo tento conscientizar alunos e responsáveis sobre os males causados pela violência, pelo rancor, pela raiva... é uma tarefa difícil mas que vale a pena...
    Utilizarei esse texto em minha reunião de pais.
    Parabéns Léo!

    Bjks

    ResponderExcluir